13
03
20

Sexta-feira 13. Para alguns, apenas mais um dia como qualquer outro. Para outros, um dia assombrado, de pura má sorte. Há quem goste desse dia, e até celebra, seja vendo filmes, séries, fazendo rituais macabros e lendo algumas lendas urbanas. Mas o que seria lendas urbanas?  São pequenas histórias de caráter fabuloso, comum a todas as culturas. Pensando nisso e em celebrar esse dia, resolvemos trazer algumas lendas coreanas de arrepiar a espinha. Boa sorte aos corajosos que forem ler.  

– Fantasma do Banheiro

Dizem que as melhores lendas urbanas surgem em banheiros, e na cultura coreana não poderia ser diferente. Escolas coreanas mais antigas têm sempre algum banheiro visto como assombrado, assim como construções mais antigas. As más línguas dizem que há um espírito nesses banheiros que, se vê alguém, pergunta se prefere papel higiênico vermelho ou azul. Se escolher vermelho, o fantasma te cortará inteiro. Se optar pelo azul, morrerá sufocado. Se não escolher ou tentar fugir, será pior.  

– Fantasmas Virgens

Chamadas de Cho-Nyo-Gwishin, esses fantasmas assolam construções abandonadas, como escolas, hospitais, prédios e cemitérios. Usam roupas brancas e cabelos longos, cobrindo o rosto. Há a história de um homem que morava no mais alto andar de um prédio antigo e certa noite acordou com alguém batendo em sua porta. Ao perguntar quem era, uma voz feminina pediu que ele fechasse os olhos e contasse até 100. Ele obedeceu, fechou os olhos e começou a contar. Ao chegar no número 49, abriu os olhos e deu de cara com uma Cho-Nyo-Gwishin o encarando.

– Tinta Vermelha

Há quem diga que a tinta vermelha traz má sorte, inclusive, se a pessoa ousar escrever o próprio nome com caneta dessa cor pode estar chamando a morte para si. Tinta vermelha é usada apenas para escrever os nomes dos que já se foram, jamais para os vivos.

– Fantasma Cara de Ovo

Basicamente, são indivíduos que não tiveram filhos em suas vidas passadas. Na cultura coreana, os descendentes realizam ritos para ajudar na passagem dos entes queridos. Sem isso, esses espíritos perdem o rosto e ficam presos a esse mundo em uma existência miserável. O azarado que der de cara com um desses, morrerá instantaneamente e da mesma forma que o espírito perdeu a vida.

– Fantasmas da Água

Conhecidos como Mool Gwishin, algumas lendas contam que se alguém morre afogado, seu espírito fica preso debaixo d’água. Por não gostarem de ficarem sozinhos, esses fantasmas aguardam nadadores se aproximarem e arrastam para o fundo.

– Taxistas e o Mercado Negro

Diz a lenda que taxistas sedavam seus passageiros, que quando acordavam, se viam sem um rim. Depois da retirada, os motoristas de táxi largavam o corpo em um campo abandonado. A finalidade era vender o órgão no mercado negro. A polícia negou que isso pudesse ser real, mas há quem acredite.  

– Fantasmas de Familiares Mortos

Há algumas crenças que dizem que quando alguém morre, não consegue deixar seus familiares imediatamente. Um caso famoso que se acredita é que, certa vez, a matriarca de uma família faleceu. O neto afirma que sonhou com a avó o chamando, enquanto a mesma estava cercada por água. Porém, no sonho, ele não foi ao encontro da voz que o chamava. Pelas tradições coreanas, se um morto chama um vivo em sonho, significa que sua alma está condenada. A família então se livrou de todos os pertences da falecida e fizeram uma singela homenagem, acabando de vez com os pesadelos do neto.

compartilhe este post:
Avatar
Postado por
Rachel
Arquivado em: Entretenimento