24
10
18

Olá kaóticos!

Sabemos que, para os kpoppers e dorameiros, é um sonho ir visitar a Coreia do Sul e conhecer o país e sua cultura incrível. A gastronomia, os palácios tradicionais, a história e o dia a dia coreanos são realmente apaixonantes. Dá vontade de ir e não voltar mais!

Semana passada eu fiz alguns stories no instagram da K4US respondendo perguntas sobre como foi o meu intercâmbio com a World Study em janeiro desse ano e, como não consegui responder à todos, resolvi fazer uma postagem com as dúvidas mais frequentes!

Então, vamos lá!

Com quantos anos eu posso ir?

Isso vai depender da agência de intercâmbio que você escolher. No caso da World Study, a idade mínima para participar do grupo é 14 anos (mas acho que com 13 ainda dá pra fazer uma exceção!).

E não existe idade máxima! Minha mãe foi, fez as aulas, foi aos passeios e se divertiu muuuuuito no intercâmbio. Pode ir sem medo 😉

Tem que saber inglês/coreano?

Não! Quando a gente chega na Lexis Korea eles fazem uma prova de nivelamento de coreano. Se você não souber nada e ficar na sala mais básica, as aulas da primeira e segunda semanas serão em inglês. Entretanto, geralmente a maior parte do grupo fica no nível iniciante, então sua sala vai estar cheia de brasileiros pra te ajudar. Minha mãe não fala inglês e conseguiu acompanhar as aulas numa boa, porque o ritmo é ótimo e o pessoal faz amizade rápido então vamos traduzindo tudo em tempo real hahaha.

Agora, nas últimas duas semanas a nossa professora só falou em coreano! Então tem que estudar, viu? (mas eu juro que é tranquilo).

Preconceito com gringos?

Felizmente, eu não experienciei nenhum tipo de preconceito. É claro que os coreanos vão olhar (até porque não dá pra disfarçar que somos gringos) mas eles são em geral muito educados e solícitos. Agora, eu só passei um mês lá, então não posso falar como uma pessoa que realmente morou na Coreia do Sul e conviveu no dia a dia com os coreanos. Mas, durante o intercâmbio, é tudo de boas. 🙂

Gastronomia: o que fazer se eu não como pimenta ou carne?

Existem opções para quem tem restrição alimentar! Minha irmã foi comigo em janeiro, e ela é vegetariana. Vou ser sincera: existem alguns restaurantes em que ela realmente não encontrava opção do que comer. Na Coreia, parece meio incomum pedir um prato do cardápio e especificar “sem carne” ou “sem pimenta”, porque aparentemente eles deixam tudo pré-preparado (a comida vem MUITO RÁPIDO! Chega na mesa em dois minutos).

Mas você pode procurar por lugares em que vai conseguir provar a gastronomia coreana e que se adequam ao seu gosto. Um exemplo (que minha irmã comia sempre!) é o bibimbap, que vende na maioria dos restaurantes e têm opções vegetarianas e sem pimenta. O jajjangmyeon (aquele macarrão com molho preto que sempre aparece nos doramas) também é uma boa pedida pra quem não gosta de comida apimentada!

Bibimbap comum x veggie (os dois são deliciosos e a pimenta vem à parte!)

É melhor ir com agência ou por conta própria?

Eu acho que isso depende muito do seu objetivo e varia de pessoa para pessoa. Pra quem vai pela primeira vez e tem interesse em estudar a língua, ir com agência é uma vantagem, já que eles conseguem descontos nos preços da passagem, escola, da acomodação e nos passeios (que estão inclusos, até o transporte!). Se você for pagar tudo isso separado, provavelmente vai acabar ficando mais caro.

Agora, se você está indo pela segunda vez ou não tem interesse nas aulas, depende de você. É claro que a agência serve como um facilitador em ambos os casos, e oferece pacotes individualizados para cada preferência, mas ir por conta própria permite que você faça seu próprio orçamento e roteiro de viagem.

 

Leia também: 5 lugares que você não pode sair de Seoul sem visitar!

 

Quanto dinheiro se gasta por dia?

Em Seoul, as refeições individuais custam, em geral, de 5 a 10 mil won. Levando em conta café da manhã, almoço e jantar (e um lanchezinho básico), eu acho que você pode acabar gastando uns 30 mil won por dia só em comida, cerca de 90 reais.

É claro que existem lanches mais baratos, por exemplo nas lojas de conveniência e barraquinhas na rua. Além disso, se você for ficar em alojamento (um dos famosos goshiwon, onde eu fiquei), a cozinha fica aberta 24h e você pode comprar coisas no supermercado pra fazer. No goshiwon também tem arroz, kimchi e lámen de graça disponível para os hóspedes, o que acaba sendo uma grande mão na roda (e uma maneira de economizar um pouco de grana).

Mas separe uma graninha pra fazer compras (Seoul é o paraíso para se comprar roupas e cosméticos)!

Preços e informações técnicas:

Para informações mais específicas, é melhor você entrar em contato com alguém da agência de intercâmbio. Eu fiz o meu com a World Study Niterói, em janeiro desse ano, e outro grupo vai pra lá em janeiro de 2019, com a Thais Midori e o Iago Aleixo, para ficar duas semanas em Seoul e duas semanas em Busan. A minha experiência foi maravilhosa, tanto com o pessoal da World Study quanto na Lexis Korea, então eu super recomendo! <3

 

Leia também: Fiz um intercâmbio de um mês na Coreia e olha no que deu!

 

Procure a World Study mais próxima de você para saber todos os detalhes do intercâmbio!

É isso, pessoal. Espero ter esclarecido melhor algumas das dúvidas de vocês. Eu já estou louca pra voltar a Coreia do Sul, foi um mês inesquecível e super enriquecedor!

Beijos, e até a próxima!

compartilhe este post:
Lýssa
Postado por
Lýssa
Viciada em mitologia grega, fic-writer, Taehyung ultimated, Slytherin, publicitária, e futura jornalista. Adora nuvens fofinhas, unicórnios, livros de assassinato, cantar no chuveiro e falar sem parar – mesmo que às vezes solte alguns impropérios.
Arquivado em: Entretenimento