19
03
20

Titulo original: Sikago Tajagii; 시카고 타자기 (Original)
Título adaptado: Chicago Typewriter; Máquina de escrever Chicago
Ano de produção: 2017
Direção: Kim Cheol Kyu
Duração: 16 episódios de 70 minutos | De 07/04/2017 a 03/06/2017
Gênero: Comédia, Fantasia, Histórico e Romance
Emissora: tvN
País de origem: Coreia do Sul
Média de avaliação no Viki: 9,7
Resenha K4US por: Fran

Sinopse segundo o site Filmow: Escritores que viveram durante a ocupação da Coreia pelos japoneses nos anos 1930 reencarnaram como Han Se Joo (Yoo Ah In), um autor de best-seller que está deprimido e tem um bloqueio de escritor; Yoo Jin Oh (Go Kyung Pyo), um misterioso escritor fantasma; e Jeon Seol (Im Soo Jung), uma anti fã do superestimado Han Se Joo.

•••

A HISTÓRIA

Chicago Typewriter acompanha três protagonistas em duas linhas de tempos diferentes: as vidas passadas de Han Se Joo, Yoo Jin Oh e Jeon Seol, durante a década de 1930, e suas vidas atuais no século XXI. 

A trama começa no  presente acompanhando as vidas de Han Se Joo, o escritor arrogante, e Jeon Seol, a faz-tudo fã número um do autor. Os dois têm a oportunidade de se conhecerem, quando Seol é contratada por uma pessoa para levar uma encomenda até Se Joo. O pacote, em questão, é uma máquina de escrever modelo Chicago, enviada para o autor diretamente dos Estados Unidos. O que Se Joo não imaginava é o fato de que dentro da máquina vive Yoon Jin Oh, o fantasma sem memória alguma sobre como morreu, mas com uma missão importante a cumprir. 

É essa missão que o aproxima de Se Joo e nos leva a descobrir várias coisas sobre a história passada dos protagonistas: eles já foram amigos durante a década de 1930, época de dominação japonesa na Coreia e, juntos, compunham um grupo de rebeldes que lutaram a favor da independência da península, mas encontraram um final bastante trágico. Final este que Yoon Jin Oh busca entender. 

 

Hwi Young (Yoo Ah In), Soo Hyun (Im Soo Jung) e Yoo Jin Oh (Go Kyung Pyo) em 1930.

 

Han Se Joo (Yoo Ah In), Jeon Seol (Im Soo Jung) e Yoo Jin Oh (Go Kyung Pyo) em 2017.

 

Para cumprir seu objetivo, Yoon Jin Oh aproveita o bloqueio criativo de Se Joo para propor ser seu escritor fantasma e contar a história de suas vidas passadas, pois somente assim seu espírito poderá descobrir o que aconteceu e, enfim, descansar em paz. Obviamente, Se Joo precisa de alguns episódios para aceitar a proposta, mas a medida que o contato com a máquina de escrever o transporta para o passado, o autor fica intrigado para descobrir o que, de fato, aconteceu. 

Ao mesmo tempo, acompanhamos também a heroína da trama, a fã número um de Se Joo, a veterinária e faz-tudo Jeon Seol, que também embarca na jornada para responder ao mistério sobre a morte de Yoon Jin Oh e, inclusive, entender questões sobre si mesma. O conceito de vidas passadas não é estranho para a moça, porque, no desenvolvimento da trama, descobrimos que toda vez que ela pega em uma arma, assiste à flashbacks de sua vida passada. É por este motivo, também, que Seol abandona o tiro esportivo, algo que ela praticava durante o ensino médio. 

As duas linhas de tempo surgem, então, como o meio de amarrar vários pontos importantes do drama, principalmente o fato de que a maioria dos personagens, em algum momento, se encontraram no passsdo, e como isso impactou suas vidas atuais.  

•••

PERSONAGENS

 

Jeon Seol/Soo Hyun (Im Soo Jung)

A veterinária e faz tudo, uma das protagonistas do drama, de personalidade forte e otimista, sempre disposta a ajudar e lidar com as dificuldades da sua vida. Em sua vida passada, Seol era integrante de um grupo rebelde pela independência da Coreia, a cantora Soo Hyun. 

 

Han Se Joo/Hwi Young (Yoo Ah In)

O escritor arrogante que precisa vencer um bloqueio criativo e cumprir prazos. Em um determinado momento, recebe uma máquina de escrever que o transporta para o passado diversas vezes. Em sua vida passada, era Hwi Young, um escritor que, junto de Soo Hyun, integrava um grupo rebelde que lutava pela independência da Coreia. 

 

Yoo Jin Oh (Go Kyung Pyo)

O fantasma simpático que ficou anos preso na máquina de escrever até encontrar Han Se Joo novamente. Yoon Jin Oh não sabe como morreu, mas tem conhecimento sobre as vidas passadas de Seol e Se Joo. Ele se torna escritor fantasma de Se Joo para descobrir o que aconteceu durante a época em que estiveram todos juntos em 1930. 

 

Baek Taemin (Kwak Shi Yang)

O rival de Han Se Joo. Os dois viveram na mesma casa por anos, até um fato decisivo ocorrer para que Se Joo se mudasse. Taemin também é escritor e tem muita dificuldade para lidar com a inveja que sente de Se Joo. 

 

Ma Bang Jin (Yang Jin Sung)

A melhor amiga de Jeon Seol, é filha de uma médium e, como consequência, consegue ver fantasmas, o que colaborou para que a moça se apaixonasse por Yoon Jin Oh. Dona de uma personalidade super carismática, está sempre pronta para apoiar Seol.

•••

 

OPINIÃO

Quando comecei a ver Chicago Typewriter, eu estava escrevendo meu TCC. Como meu tema envolvia muita história da Coreia, qualquer ambientalização era importante. E, realmente, ainda bem que dei uma chance. O recurso das duas linhas de tempo é impressionante, pois trabalha de uma forma muito legal com duas épocas diferentes da história da Coreia e, o que mais me impactou positivamente, com bastante fidelidade ao período de 1930. 

Assim, assistimos aos protagonistas irem e virem entre 2017 e 1930, aprendendo mais sobre a história individual de cada um e, de quebra, com um cenário de fundo impecável. Aliás, a fotografia desse drama merece um destaque só dela. Ao passo que a produção não se utiliza de vários cenários para as cenas de época, o que eles decidiram mostrar, de fato, é impecável. Cheio de detalhes e com efeitos de transição muito legais.

 

 

O que não conseguiu me conquistar totalmente, no entanto, foi o roteiro. A história é bastante clichê em alguns pontos, usando muitos recursos que não me interessam em dramas coreanos: triângulo amoroso, inimigos que viram amantes, protagonista arrogante que tenta se redimir no final da trama, etc. E, infelizmente, ainda que o visual e a ideia de usar duas épocas diferentes ao mesmo tempo seja algo praticamente inusitado entre k-dramas, a montanha russa que eu vivi, entre “meu deus que raiva” e “nossa que legal” não colaborou para uma opinião muito positiva. 

Mas nem tudo são lágrimas. Esse drama não trabalhou com competição feminina e, nossa, que vitória! Jeon Seol e Ma Bang Jin são perfeitas juntas e esse foi, com certeza, meu terceiro ponto preferido da história, atrás somente da utilização das linhas de tempo diferentes e de um personagem em especial.  

•••

MENÇÃO HONROSA 

 

Lembra ali em cima quando eu disse que um personagem em especial era meu ponto preferido em Chicago Typewriter? 

Pois bem, não poderia terminar essa resenha sem aplaudir de pé o dono do meu coração: o cachorrinho que roubou minha atenção o tempo todo.

Então, se você gosta de romance histórico e cachorros, aproveita pra ver Chicago Typewriter! 

Onde assistir: Netflix 


Texto por Fran | Equipe de redação da K4US
Não utilize esse material sem linkar os créditos | www.k4us.com.br

compartilhe este post:
Fran
Postado por
Fran
ENTP, 93 liner, internacionalista que está tentando ser bióloga. Viciada em figurinhas de kpop, doramas e livros.