K4US » SoRi: “O conceito sexy foi muito difícil para mim”

24
06
19

Os cabelos ruivos e longos, o collant bege combinado com meia-calça arrastão e os movimentos sexy provavelmente já passaram por seu feed. Ao som de ‘Touch’, SoRi se tornou conhecida por basicamente todo o fandom de K-Pop através de uma fancam que já acumula mais de 2 milhões de visualizações apenas no Twitter. Apesar disso, a artista ainda depende de campanhas de financiamento coletivo para lançar seus novos trabalhos e, com isso, seus fãs, os SweetNotes, resolveram tornar pública a história de SoRi.

SoRi acumula apenas três anos de experiência no K-Pop, mas a variedade de projetos em que esteve envolvida desde então chama atenção. Sua carreira teve início no duo CocoSori, passou pelo grupo Real Girls Project – que teve origem no drama The IDOLM@STER.KR -, e chegou ao top 9 final do programa MIXNINE, onde foi criticada pelo próprio YG por sua idade acima da média das outras artistas de K-Pop. Hoje, às vésperas dos 28 anos, Kim SoRi se dedica aos mais de 170 mil inscritos de seu canal no YouTube e se prepara para lançar seu terceiro single solo, pela M.O.L.Entertainment. Mas antes disso, cedeu uma entrevista exclusiva para a K4US, contando sobre sua relação com os fãs, as dificuldades de trabalhar com conceitos sexy, a competitividade da indústria e muito mais.

 

 

Sua história tem se tornado mais conhecida por conta de uma thread no twitter que explica não apenas sua trajetória, mas também todas as dificuldades pelas quais passou ao longo da sua carreira. Qual foi o maior desafio desde que começou no K-Pop? Em algum momento você pensou em desistir?

Eu acho que tudo foi um desafio para eu alcançar meu sonho. Eu aproveitei tudo que fiz até hoje, mesmo quando era difícil. Sou muito grata por tudo que consegui até agora.

Antes de participar do MIXNINE, para me tornar uma idol, tive que passar por muitas etapas de uma competição em formato survival. Acho que essa parte da competição foi um pouco difícil pra mim. Claro que depois disso pude debutar como artista solo, mas naquele tempo eu fiquei preocupada sobre minha capacidade de fazer as coisas certas.

Por sempre ter expectativas sobre meus próximos passos eu também acabo me sentindo ansiosa e, com isso, todo trabalho que faço é uma conquista para mim. Mas por conta do resultado e o baixo nível de impacto, às vezes sinto que deveria desistir!

 

A sua história conquistou a simpatia de muitos fãs internacionais, especialmente no Brasil. Com isso, muitas pessoas inclusive passaram a incentivar sua carreira através de campanhas de financiamento coletivo. Qual é a sensação de receber o apoio e carinho de SweetNotes que vivem realidades tão diferentes da sua?

Eu achava que apenas pessoas que já me conheciam sabiam da minha história. Mas vendo isso, que pessoas que nunca me viram pessoalmente e de países que nunca visitei antes estão me apoiando e me incentivando dessa forma… eu só posso me sentir feliz e muito grata por isso, a torcida de vocês me encoraja muito. Por receber mensagens de vocês quando não esperava nada em retorno, e por confiarem em mim pela pessoa que sou, posso dizer que isso é algo muito importante e precioso pra mim, o que me faz pensar que preciso tentar novos desafios novamente.

 

Considerando o crescimento de interessados e fãs fora da Coreia, você considera visitar outros países?

Se eu tiver a oportunidade, eu realmente quero ir. Não apenas para viajar, mas para mostrar minha performance ao vivo para esses fãs que me amam e me apoiam.

Você tem alguma história marcante ou curiosa envolvendo seus fãs que poderia compartilhar com a gente?

Na verdade eu tenho muitas memórias boas. A todo lugar que vou, meus fãs são bem educados e gentis. Quando eles vem me ver, consigo perceber como se comportam bem entre eles também. Quando realizei meu fanmeeting nos Estados Unidos, notei que muitos vieram de longe para me encontrar. Juntos, nós dançamos a minha música e também almoçamos. Quando o evento acabou senti como se estivesse deixando para trás parte da minha família!

Uma fancam de quando performava ‘Touch’ se tornou viral pela sensualidade que você expressa. Qual é a sua relação com esse tipo de conceito? Você se sente confortável ou é algo que precisa trabalhar com mais afinco para performar?

Na verdade o conceito sexy foi muito difícil para mim. Mas enquanto me preparava para debutar solo, analisei muitos cantores e cantoras solo e, com isso, pude perceber que o conceito sexy tem muito carisma e é bem recebido pelo público. Através desse conceito eu tentei não apenas apresentar uma SoRi sexy, mas também uma imagem mais animada de mim, tentei combinar o conceito sexy e fofo. Eu não sabia que este conceito seria tão difícil para mim, mas fico feliz quando quem assiste diz que eu estava sexy.

 

Em seus vídeos você parece ter muita segurança em seu corpo. Considerando a pressão estética sobre meninas e mulheres de todo o mundo, e a imposição de um padrão magro como corpo ideal, que conselho você deixa para o público feminino com relação a aceitação do próprio corpo?

Na verdade eu não sou segura sobre o meu corpo. Por não ser nem alta, nem ter uma “boa forma”, sempre que estou gravando um vídeo eu não me sinto confiante. Eu não sabia que meus fãs achavam meu corpo bonito. Tento ser mais confiante sobre partes do meu corpo que não gosto e, através disso, até eu mesma me sinto desconfortável com meu complexo.

Outras pessoas conseguem me ver de forma diferente e mais carismática. Acho que é importante amar a si mesmo e não se importar muito com os olhares dos outros. E eu não conseguia agir assim até pouco tempo. Não acredito que o tamanho e as medidas de um corpo sejam importantes,  o que importa é o quão saudável e reluzente você é. Dessa forma você vai parecer e se sentir incrível.

 

Além do conceito sexy, você já experimentou coisas bem diferentes ao longo da sua carreira. Você tem um conceito favorito ou algum com o qual nunca trabalhou e gostaria de utilizar em um próximo projeto?

É um conceito meio difícil para mim, mas gostaria de tentar algo tipo girl crush ou hip-hop. Quero mostrar um swag, como rappers internacionais!

 Sabemos que anteriormente você já recebeu críticas por ser uma artista de K-Pop mais velha do que a média de suas companheiras de profissão. Como você lida com comentários negativos? Se pudesse responder a essa colocação, o que diria?

Quando recebi essas críticas eu não me preocupava muito com a minha idade, na verdade me senti mais confiante. Como já mencionei em relação a segurança sobre meu corpo, eu sei quem eu sou, me conheço, e isso me traz confiança. Eu não achava que idade era um problema, na verdade não existe nenhuma exigência sobre para se tornar idol, eu só comecei mais tarde do que as pessoas poderiam esperar, mas para mim foi apenas o começo. Este também foi um grande obstáculo para mim porque eu pensei que seria influenciada pelos outros. Eu entendo a questão, mas há pessoas que pensaram que eu fiquei mais magoada com isso do que eu realmente fiquei.

Na verdade, recentemente comecei a me preocupar com minha idade. Antes era apenas uma questão, não era uma preocupação, e agora é. Mas o que importa é não desistir porque todo mundo tem reflexões e preocupações, o importante é como superar os problemas com uma perspectiva positiva.

 

Ao longo dos últimos anos você já esteve em dois projetos, o Cocosori e RPG (Real Girls Project). Além disso, também esteve no programa MIXNINE, no qual chegou ao TOP 9 final. Atualmente com a carreira solo, como você vê a competitividade na indústria do K-Pop? Você acha que é especialmente difícil para mulheres?

Como eu fui capaz de alcançar meu sonho e trabalho como cantora, eu realmente me sinto muito grata! Eu acho que eu consegui debutar como artista solo (algo que eu nunca imaginaria), só pelos meus fãs, que sempre me apoiaram e me amaram.

Eu não sou uma pessoa competitiva quando estou fazendo algo. Sempre lido com as coisas de forma calma e amena, então fazer parte desse ambiente de competição foi o mais difícil pra mim. Eu não entendo porque precisamos ser competitivos quando fazemos algo que gostamos de coração puro. Isso é algo que eu não gosto e acho que não é algo fácil de lidar. Gostaria de pensar que torcer e apoiar um ao outro é um tipo de competição também. Eu ia querer competir se fosse assim. Acho que todo mundo deveria trabalhar duro com o objetivo de alcançar seus sonhos e acho que nosso esforço deveria ser reconhecido! Quero pensar que até as falhas são coisas que me ajudam a crescer e podem se tornar experiência.

Acho que ser uma celebridade e alcançar o sucesso é difícil, mas penso que o verdadeiro sucesso para mim é estar feliz comigo mesma e com as coisas que conquistei. Nunca pense que falhou só porque algo não deu certo, só pense que você fez bem.

Quais são suas inspirações dentro e fora do K-Pop?

Antes de debutar como artista solo eu fui no show da Katy Perry, Shakira e de outros artistas internacionais. Foi uma honra poder aprender tanto. Fiquei muito surpresa com a energia da Katy no palco e eu realmente gostei do brilho e da aura sexy que a Shakira tem. Até quando cantaram músicas diferentes, o público, que vai de criança a idoso, dançava e cantava as músicas junto. Isso foi algo que achei muito legal! Um artista que pode fazer as pessoas felizes é o tipo de artista que eu quero ser.

 

Através do Youtube muitas pessoas podem ter contato com você e diferentes lados da sua personalidade. Qual é o tipo de conteúdo que você mais gosta de produzir para o seu canal, “SoRiNotSorry”?

Muito obrigada aos meus inscritos. Como vocês sabem, não existe um tema específico no meu canal. Eu faço vários conteúdos diferentes, mas o que eu acho que tem mais impacto são os dance practices. Enquanto eu estou praticando eu me sinto bem e fico feliz com o resultado final. Eu sempre fico ansiosa com as reações também. Eu sei que muitos de vocês gostaram dos meus vídeos experimentando roupas, mas a primeira vez que eu fiz não tive muita confiança. Vendo a reação dos meus fãs eu fiquei mais interessada e também mais confiante. Eu prefiro conteúdos que façam meus inscritos assistirem com mais interesse.

 

Qual foi a melhor coisa que já aconteceu em seus anos como cantora?

Estar no palco e conversar com meus fãs. *coração*

 

Como você já deve saber, os SweetNotes estão esperando por um novo single desde que as promoções de ‘I’m Ready’ acabaram. O que podemos esperar para o próximo comeback e o que você gostaria de conseguir neste retorno?

Minha música nova deve ser lançada em julho! Como meus fãs estão sempre procurando minhas músicas novas, também estou ansiosa para mostrar ela a vocês!

Além da SoRi que os fãs já conhecem, gostaríamos de saber quem é SoRi, segundo a própria SoRi. Você poderia se descrever para nós?

Mesmo que eu pareça sexy no palco, na verdade, minha real personalidade é tranquila, eu sou como um homem velho. Minha mãe sempre me critica por conta disso. Eu acho que é fácil ver as vantagens e desvantagens. Quando eu tenho um problema eu não me preocupo por muito tempo e esqueço muito rápido. Mas, atualmente, não sei muito sobre minha personalidade. Nos dias de hoje eu passei a me preocupar muito… Antes eu sempre gostava de estar com as pessoas e ser alegre, mas ultimamente eu me tornei mais introvertida e costumo gostar de ficar sozinha.

 

Bate e volta – Responda a seguir com a primeira coisa que vier a cabeça:

Uma palavra que descreva os SweetNotes: BFF (melhores amigos para sempre).

Cor de cabelo favorita: Cor natural ou vermelho/laranja. 

Melhor forma de relaxar: Deitar na minha cama em casa. 

Uma filosofia de vida:   Vamos amar e compartilhar.

Seu espírito animal: Eu não sei…

 

De: SoRi
Para: SweetNotes de todo o mundo


Por causa de vocês, meus SweetNotes, estou sempre me sentindo incentivada e sinto que posso dar meu próximo passo. Obrigada por me amarem por quem eu sou, farei o meu melhor para ficarem comigo e não desapontá-los. Eu amo vocês!

 

Demonstre seu apoio nas redes sociais!

SoRi: Twitter | Insta Oficial | Insta Pessoal | Youtube
M.O.L.Entertainment: Insta


Agradecemos a fada SoRi e sua empresa, M.O.L.Entertainment, que tornou essa entrevista possível. Além disso, agradecemos as @ oIiviazhye e soriscult, que não apenas ajudaram nas perguntas, como também vem divulgando o trabalho e a história da SoRi entre os K-Poppers de todo o mundo.

Entrevista por Bea Chugga| Equipe de redação da K4US
Tradução: Hope @ Não remover sem os créditos
www.k4us.com.br

compartilhe este post:
K4US
Postado por
K4US
K4US - Korea For Us. Um portal de opinião e entretenimento, alimentado por um time pesado de kpoppers e dorameirxs, dispostxs a falarem abertamente sobre vários aspectos da cultura coreana.
Arquivado em: Entrevista, Exclusivo