14
02
19

Em 2018 fomos surpreendidos pelo repentino fim do DramaFever e a necessidade de encontrar novas formas de acessar os conteúdos que a plataforma de streaming disponibilizava. Naturalmente, o Viki foi apontado como uma alternativa, especialmente pela grande variedade de títulos, e os dorameiros empenhados chegaram até mesmo a encontrar o serviço do Kocowa. Outra solução entre o público foi a gigante de streaming Netflix que, apesar de não ser uma plataforma de conteúdo exclusivamente asiático, já vinha mostrando cada vez mais empenho em trazer essas produções para suas telas. E, com isso, os K-Dramas agora tem a possibilidade de alcançar um público mais inesperado e global.

Além de adquirir o direito de exibição de uma infinidade de títulos sul-coreanos, em 2018 a Netflix mostrou seu potencial em produzir este tipo de conteúdo, lançando o programa de variedades ‘Jogo de Detetive’ e YG Future Strategy Office’, sitcom protagonizado por Seungri (BIGBANG). Em ambos os casos, percebe-se que o envolvimento da plataforma com produções coreanas pode ainda significar diversidade de formato. Percepção que foi apenas reforçada com o mais novo lançamento original Netflix: Kingdom’, que se aproxima muito mais de uma série do que dos K-dramas.

Dividida em seis capítulos, a série e seu visível alto nível de produção também distanciam a história do formato típico da TV sul-coreana e se equipara a séries épicas como Marco Polo, também original Netflix, e até mesmo Game of Thrones – disputas por poder, traição e uns mortos-vivos como os reais inimigos de todos -. Considerando o sucesso de outras séries estrangeiras da Netflix, como La Casa de Papel’ e a nacional 3%’, a estética e formato de Kingdom também podem facilitar um alcance mais amplo. Além, disso, a produção conta ainda com Bae Doona no elenco, conhecida internacionalmente por interpretar Sun, na série Sense8, fator que também pode cativar a curiosidade de espectadores não tão familiarizados com produções coreanas.

Kingdom foi lançado no último dia 25 de janeiro, com segunda temporada já garantida. A produção, adaptada de uma webcomic, mescla trama de época e zumbis em uma só história. 

 

Interesse doméstico

Até mesmo os estúdios sul-coreanos parecem interessados em conquistar uma nova audiência internacional. Dois lançamentos recentes da TvN provaram isso ao usar locações fora da Coreia para a história. Encounter’, drama estrelado por Song HyeKyo e Park BoGum, estreou ainda em novembro e, apesar de poucos episódio se passarem em Cuba, a passagem pelo país é de grande importância para o desenvolvimento da história e personagens.

Memories of  the Alhambra’, por sua vez, se passa majoritariamente na Espanha. Neste caso, o espaço vai além de um pano de fundo: dá nome ao drama, é essencial à dinâmica dele e traz os protagonistas Park ShinHye e HyunBin utilizando o idioma local – espanhol – para se comunicar. Tudo isso combinado já cria uma identificação considerável entre produto e público, principalmente considerando que o produto foi veiculado em uma plataforma de amplo acesso: internacionalmente o drama foi adquirido e lançado com exclusividade pela Netflix.

Levando em conta que em ambos os casos, as produções foram rodadas em países da América Latina, o conjunto também pode ser estrategicamente interpretado, considerando a popularidade da Onda Hallyu em países deste continente.

Novos horizontes

É arriscado afirmar que a adoção de outros países e culturas como base para a trama é, definitivamente, uma tendência de mercado, mas o sucesso alcançado por ambos os dramas pode cativar o interesse de produtores em expandir horizontes. E, com a ajuda da Netflix, o mundo dos dramas e produções sul-coreanas pode se tornar mais acessível não apenas para os admiradores de culturas asiáticas, mas todo um novo público.

Enquanto isso, os já interessados no bom e velho K-Drama podem esperar por novidades: o serviço de streaming ainda tem na manga três produções neste formato com previsão de lançamento para 2019: ‘Love Alarm’, ‘My First First Love’ e ‘School Nurse Ahn EunYoung’. Enquanto os dois primeiros devem explorar juventude e romance, ‘School Nurse’ promete uma atmosfera mais sombria, envolvendo temas sobrenaturais.

 


Texto por Bea @ Equipe de redatores da K4US
www.k4us.com.br | Por favor, não usar o texto e imagens sem créditos.

compartilhe este post:
Bea
Postado por
Bea
Carioca, 26 anos, jornalista e carmy. Se pudesse passaria meus dias comendo batata frita, sorvete e lendo fluff, como não posso: trabalho, passo mais tempo do que devia no twitter, como batata e leio fluff nas horas vagas. Presa numa areia movediça chamada K-Pop há dez anos (sem previsão de conseguir sair).
Arquivado em: Dorama, Opinião