10
07
18

O MV de 159cm vem ganhando o mundo por abordar abertamente conteúdo LGBTQ+. O músico/produtor e diretor de filmagem desta obra eram desconhecidos até então. Mas fomos atrás desses artistas, e trouxemos entrevistas exclusivas para a K4US com incríveis revelações.


Pouco se sabe sobre Tenny. Beatmaker, rapper e produtor, o músico ganhou atenção do público ao lançar o MV de “159cm” no dia 25 junho. O motivo para tanto alarde?

Já discutimos aqui sobre a importância do público se ver representado pelos artistas que gostam e também sobre a pouca representatividade que rola no K-Pop. São poucos os artistas que se propõem a quebrar essas duas barreiras e apostar em algo realmente inclusivo em uma indústria que tanto se nega a abordar com seriedade a temática LGBTQ+. Por isso é importante valorizarmos e discutirmos sempre que nos aparece algum desses desafiadores da indústria.

Também por isso, quando nos deparamos com esses artistas, a comunidade de K-Poppers se agita tanto. Confira tweets americanos e brasileiros sobre a repercussão do MV:

Algo que chama muita atenção nesse vídeo e, digo para vocês, deve ser reconhecido, é a forma como é abordada a história das protagonistas. No texto sobre representatividade no K-Pop temos um exemplo clássico do que é a relação entre duas mulheres sob a ótica masculina, onde ambas se tornam apenas corpos que, mesmo entrelaçados, visam entreter unicamente o público  masculino. O clipe de “159cm” exibe com honestidade a naturalidade de um relacionamento entre duas mulheres. Simples assim.

O MV de “159cm” contém algumas cenas pesadas com relação à violência contra a mulher, mais especificamente à mulher lésbica. E uma pequena exposição da hipocrisia social que se vive em basicamente todos os cantos do mundo: até a traição (no caso do MV com um líder religioso!) é mais digna que o amor entre pessoas do mesmo gênero.

Felizmente o clipe acaba com um suspiro de alívio e o final feliz que esperamos ver com mais frequência em produções que tratem do assunto.

Em conversa com a K4US, Tenny explicou sobre o MV: “Estamos tentando causar impacto nas pessoas. Não é apenas marketing, estamos tentando falar sobre coisas que deveríamos discutir mais, entende? Eu sou cristão e a bíblia não permite esse tipo de relacionamento, mas amor é amor, sabe? É isso que tentamos mostrar”.

Depois de assistir o MV, bateu aquela curiosidade de ver outros trabalhos. Abrindo o canal no Youtube percebemos que tinham vídeos com até 70 visualizações. Um dia depois, todos os vídeos do canal já mostravam uma crescente significativa. Tenny contou que não esperava toda essa repercussão fora do país: “acho que existem muitas pessoas que são LGBT”, comentou o produtor em relação ao número de apoiadores da causa LGBTQ+ que viram o MV de “159cm” e acabaram também migrando para outros do canal.

A trajetória de Tenny, ou Jinwoong Ahn – seu nome real – começou em 2011, quando debutou. Sendo um produtor independente, o início da carreira não correu como esperado. Somente em 2015, quando teve a oportunidade de produzir “새벽가로수길”, interpretada por Baek Z Young, seu trabalho alcançou o topo dos charts coreanos. Desde então, após entrar para a LeeSsang Company, ele teve a oportunidade de trabalhar com artistas como Lee Hi, B1A4, Nine Muses e conseguiu dois #1 nos charts, um deles sendo “호랑나비”, hit do programa Show Me The Money 5.

Apesar do sucesso de algumas de suas produções, Tenny conta que trabalhar nessa indústria não é fácil. Após traições e complicações com outros produtores, Tenny percebeu que nesse meio, ser um produtor não é o bastante: “então eu decidi dar um passo à frente”, comenta ele sobre a decisão de arriscar como cantor.

Sobre novos projetos Tenny afirmou ter algumas músicas já prontas, o problema é o dinheiro necessário para lançá-las. “Eu posso ter chamado atenção internacionalmente, mas na Coreia ainda sou desconhecido, então preciso trabalhar duro”.

Se você se interessou pelos trabalhos do Tenny, no site oficial do estúdio dele tem uma lista de músicas que o cara produziu.

Além da voz melodiosa e tranquila de Tenny, o sucesso de views muito se deve à visão de Lee Xuck, da XUCK FILM, e diretor do MV. Ele também conversou com a gente e comentou que se interessa pela causa LGBTQ+ não só como pessoa, mas também profissionalmente. “Eu sou filho de pastor e ele me ensinou que ser LGBT era doença mental ou coisa do diabo. Quando eu era estudante vi uma foto de dois soldados norte-coreanos se beijando. Naquela época pensei que o amor não poderia ultrapassar fronteiras, idade ou violência”. Atualmente ele declara livremente apoio à comunidade.  

Xuck contou que quando escreveu o script do vídeo pensou que não poderia produzi-lo e que, inclusive, outras pessoas reafirmaram isso, dizendo que não poderia trabalhar como diretor novamente. Certo de suas convicções, ele decidiu mostrar ao Tenny, que gostou da ideia e pediu apenas que situasse a história na Coreia do Sul, e não do Norte, como era originalmente. 

E foi o que ele fez. A história se passa na Coreia do Sul durante os anos 80 e Xuck explicou um pouco da simbologia presente no vídeo: “a garrafa de saquê com cobra dentro é uma bebida tradicional coreana. As  garrafas carregam a ideia de “bem” e  “mal”, considerando o significado da cobra sob a perspectiva religiosa”. Ele ainda comentou que o primeiro desfecho para a história seria um suicídio, mas acabou mudando de ideia.

Segundo o diretor do clipe, as atrizes que interpretam JooHee (Park BoYeon) e MinJae (Song DoWon) – sim, mores, esses são os nomes das personagens que vem derretendo o coração de todos – adoraram o projeto e não pensaram duas vezes antes de fazer a audição para os dois papéis (uma curiosidade interessante que ele revelou sobre o nome de uma das personagens é que MinJae costumava ser um nome usado para homens e que, antigamente, as pessoas valorizavam mais filhos homens, por isso, davam nome para o bebê antes mesmo de nascer).

“A Coreia é um país fechado, mas recentemente há algumas pequenas mudanças e acho que aos poucos as coisas vão mudando”, explicou Xuck sobre o atual contexto da comunidade LGBTQ+ na sociedade sul-coreana.

Assim como Tenny, o diretor não esperava que o MV de “159cm” alcançasse tamanho sucesso. Após trabalhar como freelancer e em empresas, através do projeto, ele teve a oportunidade de assinar o script, em uma parceria firmada com um amigo: “é muito especial e precioso para mim”

Os dois artistas utilizaram o instagram para agradecer o carinho do público.

Thanks! Check here! https://youtu.be/Qi7v1yecvQg #tenny #테니 #159cm #159

A post shared by XUCK FILM (@xuck_film) on

 

Xuck e a equipe que trabalhou na produção do MV estão super felizes com a recepção de “159cm”. No canal do estúdio eles lançaram uma versão do clipe em preto e branco e com cenas extras. Ele finalizou a conversa de forma bem pertinente: “meu nome não é um xingamento, por favor, não leiam como “fuck” lol”.

Confira as redes sociais dos envolvidos com essa matéria:

Tenny: Insta e Youtube
XUCK FILM: Insta e Youtube
Atrizes Song DoWon e Park BoYeon

 


A K4US agradece a disponibilidade tanto de Tenny quanto de Xuck, pelo esforço dos amigos e do google tradutor.

NOTA: A K4US adota a sigla LGBTQ+ para tratar de assuntos referentes
à comunidade. As menções utilizando a sigla LGBT são de autoria dos
entrevistados, e optamos por manter as palavras deles inalteradas.

———

Texto por Bea @ Equipe de redação da K4US
www.k4us.com.br | Por favor, não usar o conteúdo dessa postagem sem créditos.

compartilhe este post:
Bea
Postado por
Bea
Carioca, 25 anos, estudante de jornalismo e carmy. Se pudesse passaria meus dias comendo batata frita, sorvete e lendo fluff, como não posso: trabalho, passo mais tempo do que devia no twitter e como batata e leio fluff nas horas vagas. Parte da equipe da LO짱 (Lojjang) e presa numa areia movediça chamada K-Pop há 9 anos (sem previsão de conseguir sair).
Arquivado em: Entretenimento, Exclusivo, KPOP