Do suspense ao romance, do passado ao futuro.



A ficha técnica de Time Renegades informa que seu gênero é “suspense romântico”. Realmente é um filme de suspense e tensão e tem sim um romance para o qual torcer, mas mais do que isso, é um filme capaz de agradar os mais variados gostos com uma trama intrincada, com um enredo bem desenvolvido e um desfecho bem amarrado.

O filme começa na comemoração do ano novo de duas realidades diferentes: a de 1983 e a de 2015, as quais situações semelhantes e, aparentemente, sem ligação acontecem. Em 1986, um professor de música (Jo Jong Suk) persegue um ladrão que furtou a carteira de sua noiva, e acaba sendo esfaqueado em um beco. Já em 2015, um detetive (Lee Jin Wook) enquanto persegue um criminoso, acaba sendo baleado, também em um beco. Ambos, professor e detetive, lutam por suas vidas no mesmo hospital, por causas semelhantes, e são reanimados pelos mesmos equipamentos. Depois desse dia, a vida dos dois jamais será a mesma, porque agora eles sonham com a vida um do outro.

Baek Ji Hwan é um professor de música e, para ele, a missão dos professores é guiar e inspirar os alunos a encontrarem seu caminho na vida. Ele acredita que seus alunos são como bússolas que apontam para varias direções, antes de encontrarem a certa. Depois que foi esfaqueado, o professor passou a sonhar com a vida de um homem do futuro. As historias que Baek conta sobre smartphones e outras tecnologias futurísticas, passam a deixar os alunos curiosos e a repercutir entre eles. Ji Hwan é um homem feliz. Trabalha com o que gosta, ajuda seus alunos e encontrou o amor da sua vida, porém seu mundo desaba quando sua amada noiva é assassinada.

Kim Gun Woo é um detetive iniciante estranhamente apegado a coisas antigas, muito curioso e cheio de energia. Sua rotina muda, depois que ele é baleado durante uma operação e agora, ele sonha com a vida de um homem que viveu no passado com sua companheira. Esses sonhos deixam o detetive Kim muito curioso para descobrir mais detalhes sobre a vida dessa pessoa e sua curiosidade só aumenta, quando ele encontra Jung So Eun, uma mulher idêntica à companheira do homem que aparece em seus sonhos.

Um caso de assassinato de mais de 30 anos atrás acaba indo parar nas mãos de Gun Woo, sendo que a vítima é, ninguém menos que a companheira do professor Baek. Estranhamente o caso foi encerrado, mas com muitas questões sem respostas e com um culpado preso inocentemente. Assim, o detetive Kim começa a investigar novamente o caso antigo, com base nas informações obtidas em seus sonhos e com a ajuda de So Eun.

O filme, muito bem construído, começa armando um enigma logo no início e vai, aos poucos, soltando pequenas pistas sobre o que realmente está acontecendo, conseguindo entregar um desfecho inesperado. As cenas, sempre escuras e com cores neutras, ajudam a passar o sentimento de tensão e suspense do filme, assim como as poucas cenas claras e ensolaradas, que passam um sentimento de esperança e alegria. Ao longo de todo filme fica claro como esse jogo de cores e iluminação ajuda, na hora de sentir as cenas e pegar o “timing” dos acontecimentos.

O trabalho dos atores principais também merece destaque. Jo Jong Suk, como o professor Baek Ji Hwan, faz um trabalho excelente em atuação, assim como Lee Jin Wook, interpretando o detetive Kim Gun Woo. Im Soo Jung e Jeong Jin Yeong também fazem um ótimo trabalho, sendo o elo entre passado e futuro nas vidas do professor e do detetive. Soo Jung interpreta a noiva do professor Baek e a professora Jung So Eun. Ela representa um ponto de luz, tanto no passado quanto no futuro. Já Jin Yeong, ex-aluno do professor Baek e atual chefe do detetive Kim, é um ponto obscuro, e a prova de que algo deu errado no passado e que ainda precisa ser consertado.

O desfecho do filme é bem feito, mesmo com reviravoltas não há pontas soltas, entregando um fim emocionante com direito a muita ação e romance, podendo surpreender de várias formas. O filme também deixa claro no final sua mensagem de esperança: sempre vale a pena lutar pelo bem e pelo o que é certo.