04
10
17

Essa é a parte 5 da série que aborda dicas para escrever, uma parceria com a autora BtsNoona. Para ler a parte 5, clique aqui.



VEROSSIMILHANÇA

Olá leitores-amores, tudo bom? Não se assustem com a palavra do título! Hoje eu estou aqui pra falar de algo muito importante, que começa antes do capítulo um e só termina quando você marca sua fanfic como “finalizada”. Sim, estou falando da pesquisa.

Pode parecer a parte chata, mas só vai ser assim se você quiser. Te garanto que é ultra necessária e vai acrescentar muito a sua história, além de facilitar demais o seu trabalho na hora de escrever. A pesquisa anda coladinha nessa outra palavra que é muito, MUITO importante: verossimilhança.

Pra quem nunca ouviu falar, aí vai o dicionário:

verossimilhança

substantivo feminino

    1. 1.
    1. qualidade do que é verossímil ou verossimilhante.
    1. 2.
  1. lit ligação, nexo ou harmonia entre fatos, ideias etc. numa obra literária, ainda que os elementos imaginosos ou fantásticos sejam determinantes no texto; coerência.

Tá, tudo bem, mas e aí? O que isso significa?

Significa que, para seus personagens e os acontecimentos se tornarem reais e saltarem do papel, eles têm que ser congruentes com a realidade. Ou seja, se você está escrevendo uma história que se passa na Coreia do Sul, por exemplo, e seus personagens estão numa festa de ano novo, vale lembrar que em janeiro é inverno na Coreia. Ou seja, a festa no ano novo não vai ser na piscina, nem um calorão como são aqui no Brasil. São coisas pequenas, mas que juntas vão fazer seus personagens e seu enredo soarem muito mais verossímeis ao leitor.

Outro exemplo, um mais descarado agora. Vamos supor que seus personagens estejam no ensino médio. Você precisa ter em mente que eles dificilmente vão ter um carro, ou ao menos saber dirigir. Precisa saber a maioridade no país em que descreve a fanfic, pra ter certeza se eles podem sair por aí tomando cervejinhas nos bares da vida. Você precisa se lembrar que estudantes do ensino médio tem problemas de ensino médio: provas, crushes, briguinhas com outros alunos, birra com certos professores, etc. Se seu personagem for muito maduro para a sua idade, você necessariamente precisa dar boas justificativas, ou o leitor não vai comprar a sua ideia.

E como fazer isso, Noona?

Pesquisa. Pesquisa, pesquisa e mais pesquisa. A internet está aí – felizmente! O Google é seu melhor amigo e existe para ser usado. Colete o máximo de informações que puder sobre o universo em que seu personagem vive, a escola que ele frequenta, as aulas que vai, e tudo o que está ao seu redor. É ótimo, para o leitor, quando ele pega uma referência no ar. Ele se sente conectado, participante na história. Você não precisa sair deixando referências o tempo todo, mas é sempre bom trazer as coisas para o mundo real de vez em quando, aproximar a trama do seu leitor. Por que citar que seus personagens estão assistindo um filme e não dizer qual é o filme? Não que isso seja essencial, mas pode até te ajudar a descrever as reações deles durante a cena. Se estão assistindo Batman, com certeza terão uma reação muito diferente da que teriam caso assistissem O Diário de uma Paixão, não é? Todo detalhe que você puder saber sobre sua história é válido. Nem sempre você precisa contar para o leitor – e há coisas que é melhor ficarem no mistério, para serem reveladas só mais tarde – mas às vezes uma informação que parece pequena pode fazer toda a diferença.

Já ouviu alguém comentando sobre um livro ou uma fanfic e dizendo “nossa, essa história não tem pé nem cabeça”? Então, foi isso o que faltou: pesquisa. Se você só sair escrevendo tudo o que der na telha feito doido, os acontecimentos podem ficar super incoerentes, então tome muito cuidado! Se na sua história aparece, por exemplo, uma cura milagrosa para o veneno de um vampiro, é melhor que você dê as devidas explicações. Melhor ainda se você já tiver citado o fato antes, ou deixado algumas pistas de que algo assim seria possível. Por exemplo, talvez essa cura misteriosa fosse uma lenda entre os humanos, um mito antigo, que ninguém sabe se é verdade ou não. Um dos personagens pode, eventualmente, comentar que já viu alguém falando sobre um curandeiro que tem a receita dessa poção milagrosa. Sei lá, vai da sua imaginação! Mas, quando essa cura finalmente aparecer, o leitor não vai se sentir enganado se você já tiver citado a possibilidade antes. Então, mesmo que você esteja escrevendo sobre um universo fantástico, ele com certeza tem suas próprias leis, lendas e costumes. É importante pesquisar bastante e saber direitinho qual é o universo que você quer trabalhar na fanfic.

Pra que tudo dê certo e sua história fique bem linda e cheirosa, é preciso planejamento. Se planejar vai fazer com que todas essas dicas se unam numa só. É planejar o overall plot, planejar o fim da fic antes mesmo de começar, planejar o narrador que melhor conta sua história, planejar quais são as características do seu personagem, planejar como prender a atenção dos seus leitores logo no primeiro capítulo… Enfim, é um eterno planejamento. Entretanto, eu juro que vale a pena! Quando o leitor percebe que a fanfic foi bem planejada ele fica bem feliz, e arrisco dizer que se sente intelectualmente desafiado.

Por exemplo, uma das minhas leitoras de Incógnito (e muito miga), Marina, resolveu reler a fanfic desde o início. Logo no primeiro capítulo ela já veio comentar no whatsapp, aos berros (ou caps lock), que eu já tinha mencionado os all stars pretos do Taehyung bem no inicinho da história e fiz muita questão que o Jeongguk notasse os tênis que ele estava usando. Isso é porque esses tênis seriam importantes, beeeem lá na frente, uns cinco capítulos depois. Quando o leitor vê aquilo no primeiro capítulo ele não dá a devida importância, porque né? São só tênis. Mas ele já fica com aquela informação guardada, e ajuda a história a ficar mais verdadeira. Os outros tênis de Incógnito – os brancos, que aparecem bem depois – não seriam tão símbolo da liberdade do Taehyung se o Jeongguk não tivesse percebido, desde o primeiro momento, que o Tae só usa all stars pretos, velhos e surrados. E aí eu fiquei me sentindo muito contente pelo meu planejamento, já que quando a Marina releu a fanfic ela percebeu que eu já tinha pensado em tudo de antemão. 

Então, guarde essas três palavrinhas com muito carinho: verossimilhança, pesquisa e planejamento. Espero que sua fanfic fique tão, tão verdadeira que eu consiga me sentir como um dos personagens – seja lá qual for o universo que você decidir explorar. Lembrando sempre, que eu estou lá no Twitter caso precisem de ajuda. Recebi algumas dúvidas e perguntinhas graças aos textos aqui na K4US e estou muito feliz com o resultado! Vamos fazer do mundo fanfiqueiro um lugar melhor, para autores e leitores. Porque escrever é uma delícia, e literatura é o mais enriquecedor dos passatempos <3

Muito obrigada por ficarem comigo até aqui, e nos vemos quarta-feira que vem!

Beijocas amoras,

~BtsNoona


Estaremos postando toda semana uma dica sobre escrita! Acompanhem a BTSNoona no Twitter e no SpiritFanfics.

Para ler a parte 7, clique aqui.

Acompanhem a Deska, a artista da capa (e também de todas as artes da K4US) Nas redes socias: Twitter //Instagram//Facebook

compartilhe este post:
K4US
Postado por
K4US
K4US - Korea For Us. Um portal de opinião e entretenimento, alimentado por um time pesado de kpoppers e dorameirxs, dispostxs a falarem abertamente sobre vários aspectos da cultura coreana.
Arquivado em: Entretenimento