27
11
17

Em menos de um ano de grupo, já é a segunda vez deles no Brasil. Mas ninguém aqui está reclamando! Depois de reafirmar o posto de idols mais acessíveis que já pisaram em solos brasileiros, o que queremos é mais BLANC7 por aqui. Após passar por Florianópolis – e os meninos darem um pulinho em São Paulo -, a turnê Big Picture chegou ao Rio de Janeiro e nós estivemos lá para contar tudo para vocês.

Como bem sabemos, K-Popper junto sempre faz barulho. Mas K-Popper junto e diante de idol faz mais barulho ainda, e com BLANC7 não foi diferente. Os meninos também ajudaram bastante: antes mesmo do show começar, enquanto a fila se formava no subsolo da Vogue Square, os integrantes cruzaram várias vezes o hall de entrada sob a proteção de alguns poucos seguranças. Era escutar o coro de gritos para saber que algum dos meninos estava passando por ali. Entre eles e a parede, uma fileira de fãs, celulares nas mãos e muito fôlego pra esbanjar.

Mas não eram só os meninos que fizeram os fãs surtarem, não. Durante a espera para as portas se abrirem, os CEOs da Jackpot estavam circulando naturalmente pelo local. Quando os PRISM notaram que eram eles mesmo, não faltou gente pedindo para tirar uma foto com os caras. Eles eram os próprios idols naquele momento.

Quando estávamos entrando para cobrir o evento, ficamos esperando alguns minutos em uma salinha e de lá podíamos ver os meninos saindo do camarim, super pertinho da gente. Por fora estávamos agindo normalmente, mas por dentro queríamos é surtar porque quando é que nossos idols favoritos iam estar tão de boas e livres perto dos fãs? Só BLANC7 mesmo…

No fansign tivemos a oportunidade de ficar na lateral direita do palco, ou seja, bem pertinho do Jean Paul. Sempre que ele não tinha nada para assinar ele olhava para nós e acenava. MORREMOS! Mas o mais legal desse fansign não foi só as interações do líder, mas sim o quão próximo e simpáticos os sete meninos se mostravam com os fãs. K-Kid chegou a deixar uma das fãs passar a mão em seu cabelo, Taichi vestiu a touquinha de Pikachu que ganhou, assim como Teno fez com o arquinho de unicórnio. Eles ganharam desde presentinhos mais tradicionais de fansigns até cachaças. Quero só ver eles fazendo as famosas caipirinhas de que tanto gostaram.

Neste momento pudemos ver também bastante fanservice e interação com o público: a plateia deu início cantando um “Malha Funk” e relembrando não só essa, mas inúmeras referências dos meninos com a cultura brasileira. Em resposta, eles cantavam e até arriscaram no português. O Shinwoo, conhecido por ser o que mais se interessa pelo nosso idioma, contou de 1 a 30 super direitinho e sem pedir ajuda de ninguém do staff! Sério, sabemos que nossa língua pode ser complicada, principalmente para quem está aprendendo agora. Ver ele se esforçando foi tão fofo! Soubemos também que ele sempre está perguntando para o staff e produtores como falar tal palavra em português.

Uma impressão forte que essa parte do evento deixou foi com relação ao público, dominado pela presença feminina. É até comum vermos um número maior de meninas nesse tipo de evento, mas o que chamou atenção foi que não vimos UM menino participando dessa parte do evento.

Quando o fansign terminou, fomos auxiliadas a sentar no chão, na frente da pista premium, ou seja, praticamente de cara no palco. O lugar não era muito grande, então até quem estava na pista comum conseguia vê-los super de boas.

Antes do showcase começar tiveram algumas apresentações. Grupos cover de dança se apresentaram, e alguns eram tão bons que fizeram o público reagir como se fossem os próprios idols. Alô produtoras que trazem grupos de K-Pop para o Brasil: se com o cover já rolou esse impacto de fanchant, imagina com os meninos do Astro aqui?

A equipe da Storyvent entregou ao público um evento completo, trazendo diferentes aspectos do universo da cultura coreana que os K-Poppers amam. Um grupo de B-Boy também performou, arrancando os gritos do público. Um dos integrantes era coreano e gostou tanto do Brasil que decidiu ficar por aqui mesmo e formar o próprio grupo. Tiveram também sorteios conduzidos pela apresentadora, onde os fãs puderam ganhar kits da Asian Mix Store, camisetas que estavam vendendo no evento e até o álbum oficial do BLANC7. 

Prêmios são legais e tudo mais, mas o que realmente queríamos era os meninos no palco. E quando esse momento finalmente chegou… sem palavras. Com direito a mais interações de Jean Paul com a gente, saímos de lá bem biaseds dele. Ele se emocionou durante as músicas, chorou, tirou a camisa, acenou, piscou… Tem como não se apaixonar??

O K-Kid e Teno, apesar de mais quietinhos, tinham toda uma presença de palco. Aqueles sorrisos fofos que eles ofereciam durante o fansign sumiu em boa parte das músicas apresentadas, dando lugar aos olhares intensos e o foco em entregar perfomances impecáveis. Para eles nem parecia tão difícil assim, todos os integrantes esbanjaram, especialmente no que diz respeito a voz.

O que dizer dos highnotes do Shinwoo? Esse menino além de ser apaixonado pelo Brasil, conquistou nossos ouvidos e corações com sua voz maravilhosa.

Spax também era mais da turma dos quietos, mas foi só ter a oportunidade de apresentar uma coreografia de Bboy que se soltou rapidinho e brilhou, por um momento, sozinho no centro do palco.

O DL com aquele eye smile… Aqueceu meu coração ver ele todo felizinho e dançando. Houve um momento de interação com os fãs no qual a apresentadora escolheu uma fã para subir no palco. Ela podia escolher um dos membros para tirar uma foto polaroid com ela. Sortuda não?? Os meninos ficaram um do lado do outro e de costas para ela e adivinhem o escolhido? DL! Quando a menina encostou nele, ele levou um susto tão grande, que arrancou risadas de todos ali. Acho que ele não estava esperando ser escolhido, tadinho.

Antes da menina ser escolhida para subir ao palco e participar da brincadeira, Jean Paul tinha escolhido um menininho para ganhar a foto, mas infelizmente ele não quis? Estava com vergonha? Jamais saberemos o que se passou na cabeça dessa criança, mas deu a oportunidade para uma Prism ser muito feliz.

Agora vamos falar do Taichi, o maknae mais fofo da face da Terra. Sua carinha já é fofa naturalmente, ele nem precisa fazer aegyo, bicho. Quando a apresentadora perguntou quanto tempo levou para ele aprender coreano, ele respondeu “1” como se fosse um nenê dizendo sua idade. Todos suspiraram um “awwww” para ele nesse momento e os membros começaram a zoar ele.

Que visão, hein?

Em um breve intervalo do show, tivemos também a oportunidade de escutar o vozeirão do Kim SoNyeon, sunbae dos meninos na empresa e que apresentou duas baladas, acalmando o público e deixando uma vibe mais tranquila no evento. Pelo menos até o BLANC7 voltar ao palco.

Um assunto que está dando o que falar, principalmente no Twitter, foi a tal menina que invadiu o palco. O show estava na reta final, os meninos já tinham descido do palco para interagir mais com o público, e do nada – bem na hora que o Jean Paul estava sem camisa e dando a mão para nós – uma menina sobe no palco e, de primeira, agarra o Spax. Mas não ficou só por isso, ela agarrou todos os integrantes que estavam lá. Tudo aconteceu tão rápido e a coisa foi tão longe que até o vice-diretor da Jackpot Entertainment subiu no palco para tirar a menina de lá.

Muitos criticaram a ação dos seguranças (que na verdade foi nenhuma) e outros criticam a ação da menina. É um caso a se pensar em como nós, brasileiros, reagimos, não só ao kpop, mas também com outros shows. Somos conhecidos por sermos bastante receptivos e animados, um povo caloroso, como muitos artistas falam. Porém, essa necessidade de demonstrar nosso amor por nossos ídolos acaba indo longe demais.

Não vamos entrar no mérito de julgar ninguém neste momento, mas é bom todos nós repensarmos nosso comportamento em eventos desse tipo. O BLANC7 é um grupo super acessível e eles amam demais o Brasil e não escondem isso. É um dos únicos grupos de K-Pop que possui tamanha interação com os fãs e agora com tal acontecimento, não sabemos como será o comportamento deles daqui pra frente.

Apesar de toda a confusão, os integrantes continuaram o encore do show de forma relativamente tranquila. Eles tinham voltado para o palco com rosas vermelhas nas mãos e entregaram para algumas sortudas da plateia. Dá vontade, né Roberto Carlos? (Deu vontade aqui também)

Com agradecimentos em português, e muito bom humor mesmo após a situação caótica que rolou, os meninos encerraram com a clássica foto com a plateia, deixando o palco e uma saudade que todo Prism no Rio de Janeiro deve estar sentindo até agora.


Agradecimentos especiais a equipe da Storyvent que nos proporcionou esta oportunidade incrível!


Texto: Hope e Bea

compartilhe este post:
K4US
Postado por
K4US
K4US - Korea For Us. Um portal de opinião e entretenimento, alimentado por um time pesado de kpoppers e dorameirxs, dispostxs a falarem abertamente sobre vários aspectos da cultura coreana.
Arquivado em: Entretenimento