08
03
18

Como muitos devem estar sabendo, em janeiro de 2018 a empresa de intercâmbio World Study fez sua primeira excursão para a capital sul coreana, Seoul. Foram quatro semanas de passeio e estudo, com a companhia da youtuber de kpop mais querida do Brasil, Thais Midori. Graças ao sucesso do passeio, a World Study já está organizando a ida de um segundo grupo à Seoul, em julho, para estudar e conhecer a cidade por três semanas! E ainda por cima, a Midori vai de novo! Tem interesse? Então dá uma lida na matéria <3

bem lindinhos e congeladinhos

 

Eu estava lá, dia 8 de janeiro, no aeroporto de Guarulhos. Morrendo de vergonha, roendo as unhas de ansiedade, nervosa pra que se passassem aquelas quase 30 horas de voo e para chegar logo na Coreia do Sul. Depois desse mês incrível – e do triste e fatídico retorno ao Brasil – vou contar em primeira mão como foram meus dias em Seoul.

 

  1. A ida.

 

Muita gente veio falar comigo que morre de vontade de ir, mas sente insegurança sobre ir sozinho, sem conhecer ninguém. Não foi o meu caso: minha irmã e até minha mãe (pois é, sou filha de mãe dorameira) foram comigo. Tirando a gente, todo mundo foi sozinho. Digo logo que não tem neura com isso: o pessoal já fica amigo antes de ir, pelo grupo do Whatsapp que a World Study cria um tempinho antes da viagem, ou faz amizade na hora mesmo. São mais de 24 horas de viagem! Dentro do avião tem tempo de sobra pra conhecer todo mundo, mesmo que só rapidinho.

Aliás, a amizade no voo da ida já era tanta que a nossa Maknae Line (pois é, tínhamos uma maknae line bem parecida com as dos grupos de kpop: não paravam quietos um segundo) fez a maior bagunça da Etiópia (onde fizemos escala) até a Coreia do Sul. Ou seja, o voo já foi divertido! Pra quem está curioso, a Midori tem um talento excepcional pra dormir no avião, e foi nocauteada daqui até lá… (que inveja!).

 

  1. O primeiro dia

 

Todo mundo chega lá morto de cansado, sem saber muito bem o que fazer ou pra onde ir. Janeiro é o auge do inverno na Coreia do Sul, então ao sairmos do aeroporto já demos de cara com os carros cobertos de neve! A World Study garante o transporte do aeroporto até a acomodação, então a gente não teve que se preocupar com nada. Chegamos na Happy House (o nome da nossa acomodação) e aproveitamos a noite pra arrumar nossas coisas, comer e descansar. Os quartos são individuais, mas a acomodação tem algumas áreas comuns como cozinha (tinha arroz, kimchi e ramen à vontade 24h) e o terraço, onde ficam os varais. Ah, e tem que tirar o sapato antes de entrar no quarto – bem ao estilo coreano mesmo!

As aulas começam às 9 horas da manhã, e no primeiro dia nós fomos todos juntos para aprender o caminho da acomodação até a Lexis Korea, a escola de línguas onde fizemos nossas aulas. No primeiro dia ficamos todos na mesma sala, o que também é bom pra você conhecer as pessoas, e fomos nivelados para as turmas, já que muitas pessoas já haviam tido contato com a língua coreana antes. À tarde fizemos um “reconhecimento” do bairro onde ficamos, Gangnam, à pé mesmo. Estava suuuper frio, mas foi bem divertido já que ainda estávamos todos anestesiados… “Meu Deus, eu tô na Coreia mesmo???”

 

  1. As aulas na Lexis Korea

No segundo dia nós já fomos separados em turmas. Garanto que, se alguém está preocupado com as aulas, não deveria! Os professores são muito atenciosos, e rapidinho você vai fazer amizade com todo mundo da sua turma. Pode ser que tenham pessoas de outros países também, e gente que já está em Seoul a mais tempo, o que é muito legal! Aproveite a oportunidade pra fazer amizades e perder a vergonha de falar coreano – acredite, você vai precisar! Apesar de ser uma capital enorme, nem todo mundo que trabalha nos restaurantes e lojas sabe falar inglês – ao contrário do que eu esperava. Então, logo de início você vai aprender algumas palavrinhas e expressões mágicas que vão tornar o seu mês em Seoul bem mais fácil na hora de se comunicar. Na Lexis é o momento de perder a vergonha e treinar bastante! E tem que estudar, viu? Toda segunda-feira tem prova! Apesar de ser pouco tempo de curso (no meu caso, apenas quatro semanas) achei que foi muito bem aproveitado e eu aprendi muitas coisas da língua coreana. O material (livros e fichas) também está incluído, e é muito bom! Voltei pra casa com quatro livros de coreano e pretendo continuar meus estudos aqui no Brasil!

 

“Mas Lýssa, precisa saber inglês pra fazer as aulas?”

 

Depende. Se você vai começar do zero no coreano, então o inglês vai te ajudar porque na primeira turma as aulas são em inglês. Mesmo assim, é um inglês bem misturado com coreano, então você já vai acostumando o ouvido com a língua nova. E também é um inglês muito básico. Se você está na turma de “foundation”, vai aprender coisas como “table”, “wallet”, “chair”, e afins em coreano. Não precisa ter o inglês muito fluente pra conseguir se virar bem. Outra coisa: muito provavelmente você não vai ser o único brasileiro da sua turma, então vale cutucar o coleguinha e pedir ajuda se você não entender o que alguma coisa em inglês significa.

Agora, se você já tem uma noção de coreano e vai entrar num nível acima do primeiro, não precisa de inglês! As aulas são inteirinhas em coreano, os professores praticamente não falam em inglês. Você vai ficar meio perdido no ínicio? Vai. Mas lembre-se que todo mundo ali está perdido, estão todos aprendendo, e no fim (sei lá como!) a gente dá um jeitinho de se entender!

No mais, eu amei a Lexis! Voltaria lá amanhã se eu pudesse. Vale muito, muito a pena!

 

  1. Os passeios

Todo dia de semana tem programação organizada pela Lexis Korea! Todos os dias a gente saía da aula 12:30h e íamos almoçar. Depois, nos reencontrávamos na Lexis às 13:05h – e tem que ser pontual! Nesse horário, a guia entrega os cartões de metrô, já que o transporte de ida e volta para os passeios está incluso.

No primeiro dia, como eu já disse, vocês vão conhecer o bairro de Gangnam e aconselho prestar muita atenção! Afinal, você vai passar a maior parte do seu tempo ali, então é bom pedir recomendações de lojas, restaurantes, farmácias etc… A Midori vai poder ajudar muito com isso, como já conhece bem o bairro – e pode perguntar mesmo que ela responde na maior boa vontade. Qualquer dúvida, podem me perguntar também! Só tente não passar o mês em Seoul comendo McDonalds. Aproveite pra conhecer lugares diferentes e provar os diversos pratos típicos da culinária coreana (que é uma delícia, apesar de bem apimentada)!

Os passeios são muito diversos. Nós conhecemos pontos turísticos super famosos como o Rio Han e a Namsam Tower, os bairros badalados como Myeong-dong e Hongdae, tivemos aulas de dança de K-pop (todas as quartas!), culinária coreana e taekwondo, e visitamos mais um monte de lugares. Os passeios vão até às 16h e depois você fica livre pra ir aonde quiser. Os fins de semana são completamente livres: não tem aula nem passeio da Lexis! Mesmo assim, o nosso grupo sempre planejava alguma coisa pra fazer pelo Whatsapp, como ir aos palácios da Era Joseong (imperdível pra quem curte doramas!), visitar as empresas mais famosas de Kpop, os norebangs (famosos karaokes coreanos) e etc. É muita coisa pra fazer, e eu não passei nenhum dia no alojamento! Então, se você estiver pensando em ir, reúna bastante energia!

 

  1. As noitadas

Seoul é uma cidade enorme e tem uma noite muito ativa! Também, é uma cidade incrivelmente segura – pra nós brasileiros, acostumados a nos preocupar o tempo todo, chega a ser até surreal! Hongdae é o bairro mais popular pra ir à noite (onde os grupos se apresentam no meio da rua e você pode assistir ao pessoal dançando e cantando), mas também tem Myeong-dong (pra mim, o melhor bairro pra se comer comida de rua e fazer compras), Itaewon (onde tem muitos barzinhos diferentes e é lotado de pessoas do mundo inteiro – tem até uma churrascaria brasileira!) e lá mesmo em Gangnam você pode encontrar vários restaurantes e bares legais pra ir!

Mas sempre lembre-se que o metrô fecha! Cuidado pra não perder o último metrô, ou você vai precisar pegar um taxi, que pode não ser nada barato. Na noite em que saímos pra balada em Hongdae, nós saímos da boate e fomos no McDonalds tomar café da manhã e esperar o metrô abrir.

Seoul tem muitas festas e baladas, pra quem curte – e é maior de idade! Sobre a maioridade sul coreana: em 2018, só entra em boates quem nasceu em 1999 ou antes! Eles pedem passaporte original pra entrar e conferem MESMO, então os menores de idade não podem entrar, nem acompanhados. Mas se você é menor de idade, pode ficar passeando por Hongdae, aproveitar as apresentações de rua e ir pro norebang soltar a voz.

Eita, que SAUDADE de Hongdae!!!!

 

  1. Shows de Kpop

Se você pretende ir para Seoul em julho e é muito fã de Kpop, não perca a chance de assistir a um show dos seus ídolos favoritos no país deles! Procure com antecedência a programação para os dias em que você estará na Coreia e compre o ingresso aqui do Brasil mesmo, pela internet. Na maior parte dos casos, você vai poder retirar o bilhete lá na hora, antes do show começar. Tem show de Kpop todo fim de semana, então com certeza você vai encontrar algo que queira assistir.

Todo mundo do meu grupo foi no Seoul Music Awards! Foi incrível (e eu pretendo escrever um texto só sobre esse dia, porque ele merece) e valeu muitíssimo à pena. Tive sorte por ser uma premiação, então pude ver a apresentação de não apenas um grupo, mas vários: BTS, Got7, BlackPink, Monsta X, NCT 127, Red Velvet, Bolbbalgan4, Wanna One, Mamamoo, entre muitos outros grupos e artistas que eu nem sonhava em assistir ao vivo. Além disso, realizei o sonho de ver alguns atores dos doramas que eu tanto admiro, já que vários deles apresentaram as categorias dos prêmios (tipo o maravilhoso Park Hyung Sik de Strong Woman Do Bong Soon)!

Sério, recomendo milhões de vezes ir a um show! Os coreanos são super organizados e os shows não são aquela guerra como são aqui no Brasil. É até estranho, fica todo mundo sentadinho balançando o lightstick, na maior educação. É uma experiência única, então caso você esteja pensando em ir para a Coreia, se planeje com antecedência para não perder essa oportunidade!


Aqui vão minhas recomendações pra quem quer ir com a World Study em julho:

 

— Leve roupa de cama. Não precisa levar cobertor, porque lá tem (e vocês vão no verão, então imagino que não será tão necessário) mas aconselho levar um travesseiro pequeno no avião, que também vai te ajudar a dormir na viagem, e um lençol na mala. Não sei porque, mas tive a impressão de que na Coreia eles não têm o costume de usar lençóis como a gente tem aqui. Eu e minha mãe procuramos lençol pra comprar lá e não encontramos, então leve!

— A acomodação é pequena, MAS PEQUENA MESMO. Aconselho tirar logo tudo da mala e organizar no quarto. Nós compramos cabides extras – na Daisoo, super baratinhos – e foram muito úteis! Também compramos copo/caneca, pra deixar no quarto, papel higiênico (que a acomodação não fornece) e garrafas de água. No quarto tem um frigobar, e você pode equipar ele com lanchinhos pra quando estiver cansado demais pra sair pra comer.

— Internet: na acomodação tem internet (o wifi é muito bom) e em Seoul tem wifi liberado em muitos lugares, mas não é tão simples assim ter internet para todos os lados. Você pode alugar um pocket Wifi no aeroporto e dividir os custos com amigos que você sabe que estarão com você o tempo todo. Outra opção é chegar lá e comprar um chip pro celular. Eu aluguei o pocket Wifi com minha mãe e minha irmã, e achei que valeu à pena pra nós três, já que estávamos sempre juntas. O pessoal vai falando no grupo sobre a programação dos dias, então é sempre bom ficar atento no Whatsapp.

— Se planeje antes: como eu disse, os fins de semana são livres, então faça pelo menos uma listinha com tudo o que você quer visitar e não está incluso na programação da Lexis. Os palácios são imperdíveis (e você pode usar o Hanbok, a vestimenta tradicional coreana, como dos doramas de época! Tem muitos lugares que alugam Hanbok perto dos palácios, por duas ou quatro horas). Também tem os shows de Kpop, os Jjimjilbangs (saunas coreanas), os Norebangs (karaokes coreanos), os cafés de idols, o restaurante da mãe do Chanyeol do EXO, as empresas de Kpop, entre outros. Vá com tudo anotadinho pra não esquecer de fazer nada do que você quer e aproveitar sua viagem ao máximo!

— Leve uma mala dentro da outra! Acredite, você vai querer comprar coisas por lá, e vai precisar de muito espaço na mala pra voltar. Um monte de gente no nosso grupo precisou pagar excesso de bagagem na volta (que não é nada barato), então já vá com isso em mente! Produtos coreanos de skincare e maquiagens são super populares e é impossível não comprar um monte de máscaras! Roupas também são bem mais baratas que no Brasil, e você vai querer entrar na moda coreana quando chegar lá. Além disso, você provavelmente vai querer comprar muitos, MUITOS álbuns de Kpop, que não são tão caros se comparado ao preço brasileiro + frete absurdo. Então, recomendo ir de mala vazia pra trazer muitas lembranças!

— Passe o menor tempo possível na acomodação, não tenha vergonha de pagar micos, e faça amigos para a vida inteira! <3

<3

 

Para quem tem dúvidas, entre em contato com a K4US em qualquer uma de nossas redes sociais, que tentaremos esclarecer tudinho!

Está animado pra ir e quer saber sobre o orçamento? Entre em contato com a World Study e eles vão te passar todos os dados!

compartilhe este post:
Lýssa
Postado por
Lýssa
Viciada em mitologia grega, fic-writer, Taehyung ultimated, Slytherin, publicitária, e futura jornalista. Adora nuvens fofinhas, unicórnios, livros de assassinato, cantar no chuveiro e falar sem parar – mesmo que às vezes solte alguns impropérios.
Arquivado em: Opinião